NOVO FORD EDGE TITANIUM

01/10/2016 0 Comentários

Lançado no Brasil em 2005, o modelo nunca escondeu o parentesco com o Fusion. Recentemente, eles se afastaram quando o sedã trocou o V6 pelo EcoBoost 2.0 de 230cv. Se você esperava vê-lo no Edge, saiba que a Ford resolveu manter o 3.5 V6 - forte, mas beberrão - como única opção no país.

 

 

Levado à pista de testes, o SUV mostrou agilidade para um veículo de 2 toneladas (mesmo com uma transmissão que não acompanha a disposição do motor nas acelerações), precisando de 9 segundos para ir de 0 a 100 km/h. Seu desempenho é praticamente idêntico ao do Jeep Grand Cherokee e do Hyundai Santa Fe, ambos com porte, conteúdo e motorização semelhantes.
Seguro nas curvas, o Edge é prazeroso de guiar e roda suavemente, principalmente em estradas sem muitas imperfeições – cenário difícil na maior parte do Brasil. Nas vias esburacadas, a suspensão mole com calibragem priorizando o conforto maltrata os ocupantes. Dependendo do tamanho do obstáculo, não é raro os amortecedores chegarem ao fim do curso, acompanhados de uma pancada seca e audível a todos.

 

 

Diferentemente da antiga geração, o Edge não parece tão grande quanto realmente é. O modelo está 10 cm mais longo e 4 cm mais alto, sendo que a distância entre-eixos aumentou 3 cm. Essa falsa impressão é reforçada pelo design, que põe a esportividade acima da imponência.
A grade hexagonal antecipa parte dos traços do facelift do EcoSport, provavelmente a próxima novidade da Ford para 2016. Alguns detalhes estéticos chamam muita atenção à noite, como os faróis de neblina com formato original e o filete de leds que preenche a traseira.

 

 

O interior lembra um pouco os modelos da Volvo, especialmente nas soluções criativas, como o console central mais fino. Como é de lei nos carrões americanos, há inúmeros porta-objetos (e porta-copos, claro) de vários tipos e tamanhos pela cabine. Felizmente, a Ford substituiu os antigos comandos táteis de climatização e outras funções (que eram bonitos de ver e péssimos de usar) por botões convencionais.
Segurança topo de linha
Bem equipado, o Edge conta com oito airbags (incluindo dois frontais para joelhos), abertura elétrica do porta-malas por movimento do pé, alerta de colisão, assistência variável da direção (que a deixa macia em balizas, porém mole demais no meio de uma curva, em algumas ocasiões), cintos de segurança traseiros infláveis, bancos dianteiros com climatização e aquecimento, câmera frontal com visão de 180 graus, piloto automático adaptativo, vidros laterais frontais laminados, entre outros equipamentos.
Faz falta a terceira geração da central multimídia Sync, compatível com os sistemas Apple CarPlay e Android Auto e com melhor usabilidade que a central do veículo importado para cá – aplicada em modelos como Fusion e Ranger.

 

 

Fonte: Revista Quatro Rodas 

URL: http://quatrorodas.abril.com.br/materia/ford-edge-titanium-o-sniper-americano

Por: Vitor Matsubara • 30/09/2016 às 18:43

 

 

Deixe seu comentário